11/6: Reintegração na Zona Sul de São Paulo tem confronto (clipping mídia corporativa)

SP: PMs e moradores entram em confronto em reintegração de posse

(Divulgação / Original no portal Terra)

Homem retira pertences do terreno que havia sido ocupado ilegalmente na zona sul de São Paulo Foto: Adriano Lima / Brazil Photo Press
Homem retira pertences do terreno que havia sido ocupado ilegalmente na zona sul de São Paulo
Foto: Adriano Lima / Brazil Photo Press

Moradores entraram em conflito com a Polícia Militar no início da manhã desta terça-feira, durante a reintegração de posse de um terreno no Parque Bristol, na zona sul da capital paulista. Eles fizeram barricadas, e a PM atirou bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os cerca de 100 manifestantes. Não há informações de feridos.

Segundo a contagem da PM, o terreno de 60 mil metros quadrados, na avenida do Cursino, é ocupado por 120 pessoas. Já os moradores dizem que cerca de mil famílias vivem no local.

De acordo com o capitão Pardubsky, da PM, grande parte dos barracos já começou a ser demolida. Os moradores estão levando os pertences para os 40 caminhões disponibilizados. Cerca de 120 carregadores auxiliam a retirada dos móveis. Segundo o capitão, a ação policial deve se estender até o meio-dia.

Policiais militares removem moradores da região ocupada Foto: Adriano Lima / Brazil Photo Press

Policiais militares removem moradores da região ocupada

Foto: Adriano Lima / Brazil Photo Press

O trânsito na avenida do Cursino está totalmente interditado desde a altura da rua Antônio Zequi. A orientação é optar pelo desvio pela avenida Maurice Denis e seguir pela avenida Padre Arlindo Vieira.

A ação também alterou o intinerário de quatro linhas de ônibus na região, segundo a SPTrans: Jardim Celeste-Metrô Santa Cruz, Jardim Clímax-Metrô Praça da Árvore, Jardim Celeste-Terminal Parque Dom Pedro II, e Vila Moraes-Metrô Saúde. Técnicos estão na área orientando e monitorando a operação.

Com informações da Agência Brasil.

 

Policiais fazem reintegração de posse na zona sul de SP

(Divulgação / Original por R7)

Ação faz com que quatro linhas municipais mudem itinerário na região

Tropa de choque montou barreira de proteção no localReprodução/Rede Record

Policiais Militares do 46º Batalhão iniciaram uma reintegração de posse, por volta das 5h30 desta terça-feira (11), em um terreno localizado na altura do número 5.000 da avenida do Cursino, na Vila Moraes, zona sul de São Paulo.

Revoltados com a decisão judicial, os moradores bloquearam a via com madeira, pneus e atearam fogo. O Corpo de Bombeiros também foi chamado para a ocorrência. A tropa de choque também estava presente. Os policiais faziam uma barreira de proteção no local por volta das 7h40.

A reintegração é de um terreno de 65 mil metros quadrados que pertence a uma construtura, onde hoje vivem cerca de quatro mil pessoas. A polícia cumpre o mandato de devolver ao dono a posse da extensão de terra.

Segundo o advogado das famílias, André Araújo, as pessoas que ocupam o terreno são provenientes de outras favelas como Heliópolis, Boqueirão e Jardim São Silvério, e também de outras desocupações na região.

Ainda segundo o advogado, a decisão judicial foi expedida no dia 16 de maio e foi acordado com o juiz que todas as famílias desocupadas seriam inscritas pela prefeitura em um plano habitacional, mas até às 07h30 desta terça-feira, ninguém havia comparecido ao local.

Do total do terreno, apenas 6,2 mil metros não passaram pela reintegração de posse. A PM (Polícia Militar) cercou a região e tenta convencer os moradores a deixarem o local, sem violência.

Apesar do clima de tensão não há informações de registro de um grande confronto entre moradores e policiais militares na região.

Por conta da ação, a SPTrans (São Paulo Transporte) alterou o itinerário de quatro linhas que passam pela região. Veja as mudanças:

4718/10 JD. CELESTE — METRÔ SANTA CRUZ
Sentido único: Normal até a av. do Cursino. O ônibus segue então pela av. Padre Arlindo Vieira, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, praça Cílio Canelos, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, av. do Cursino, prosseguindo normal até a Rua Gen. Enrico Cavíglia, av. do Cursino, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, av. Padre Arlindo Vieira, av. do Cursino, prosseguindo normal.

4727/10 JD. CLÍMAX — METRÔ PCA. DA ÁRVORE
Ida: praça Cílio Canelos, rua José Pereira de Souza, rua Geraldo Santos, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, av. do Cursino, prosseguindo normal.
Volta: normal até a av. do Cursino, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras e praça Cílio Canelos.

5108/10 JD. CELESTE — TERM. PQ. D. PEDRO II
Ida: Normal até a av. do Cursino. av. Padre Arlindo Vieira, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, praça Cílio Canelos, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, av. do Cursino, prosseguindo normal.
Volta: normal até a av. do Cursino, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, av. Padre Arlindo Vieira, av. do Cursino, prosseguindo normal.

4734/10 VILA MORAES – METRÔ SAÚDE
Itinerário alternativo: Ida: praça Giuseppe Fioretto, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras, av. do Cursino, prosseguindo normal. Volta: normal até a av. do Cursino, rua Brig. Amilcar Veloso Pederneiras e praça Giuseppe Fioretto.

A SPTrans informa que técnicos estavam na região por volta das 6h05 para orientar e monitorar a operação.

Assista ao vídeo no link da matéria no R7

 

Moradores e PM entram em confronto em reintegração de posse

(Divulgação / Original no G1)

Terreno fica na Avenida do Cursino, na Zona Sul de São Paulo. Por volta das 10h, houve correria e bombas de efeito moral.

Polícia Militar cumpre uma reintegração de posse na Avenida do Cursino, na zona sul de São Paulo (Foto: Marcelo Alves/ Estadão Conteúdo)PM cumpre uma reintegração de posse na Avenida do Cursino (Foto: Marcelo Alves/ Estadão Conteúdo)

Policiais militares e moradores entraram em confronto durante a reintegração de posse de um terreno localizado na Avenida do Cursino, na Zona Sul de São Paulo. Por volta das 10h desta terça-feira (11), houve correria. Bombas de efeito moral foram jogadas e balas de borracha foram usadas para dispersar os manifestantes enquanto a Tropa de Choque avançava para cumprir a ordem judicial.

Os moradores chegaram a queimar objetos para tentar conter o avanço da polícia. Eles fizeram barricadas em uma rua próxima do terreno invadido e carros eram orientados a retornar para fugir das chamas. O fogo já havia sido apagado por volta das 10h30. No horário, a PM disse que não tinha informações sobre feridos. O Bom Dia São Paulo informou que pelo menos um morador sofreu ferimentos.

Segundo a polícia, 500 famílias moram neste terreno. Porém, nos cálculos dos moradores, 1,2 mil famílias estão na área há pelo menos um mês. Um trecho da avenida foi fechado para a reintegração de posse do terreno, que pertence a uma construtora. A área fica próximo ao Zoológico de São Paulo.

No início da manhã, a situação era considerada tranquila pela Polícia Militar. “A situação está sob controle. Nós preparamos o efetivo para evitar o confronto”, afirmou, por volta das 6h30, o capitão Pardubsky. Carros do resgate também foram chamados para dar apoio à operação.

A empresa colocou 40 caminhões à disposição para transporte dos pertences dos moradores para um depósito. Segundo a polícia, as casas devem ser demolidas. Por volta das 6h50, algumas pessoas retiravam os pertences e desmontavam as estruturas de madeira erguidas no terreno. Às 10h45, máquinas derrubavam as residências que estavam de pé.

O advogado dos moradores, André Araújo, afirmou que o terreno tem cerca de 65 mil metros quadrados. Segundo ele, 6,5 mil metros quadrados dessa área foram declarados de interesse social e, por isso, não devem ser alvo da reintegração nesta manhã. De acordo com o advogado, grande parte dessas famílias paga aluguel em favelas próximas.

Ainda de acordo com o relato do advogado dos moradores, a Secretaria da Habitação não apresentou uma alternativa para as famílias. A Prefeitura informou, porém, que as famílias já tinham recebido orientação. Elas poderão se inscrever nos Programas Habitacionais da Secretaria Municipal de Habitação poderão ser encaminhadas a abrigos.

Além dos PMs, participam da reintegração oficiais de Justiça, a Subprefeitura do Ipiranga, Eletropaulo, Sabesp, Conselho Tutelar, Coordenadoria Regional de Assistência Social, SPTrans, Coordenadoria de Saúde do Municipio, Centro de Controle de Zoonoses, CET, Corpo de Bombeiros e a Polícia Civil.

Interdição
A Avenida do Cursino está interditada perto do número 5.000. A SPTrans informou nesta manhã que alterou a circulação de quatro linhas que passam pela Avenida do Cursino: 4718/10 (Jardim Celeste – Metrô Santa Cruz), 4727/10 (Jardim Clímax – Metrô Praça da Árvore) e 5108/10 (Jardim Celeste – Terminal Parque D. Pedro II) e 4734/10 (Vila Moraes – Metrô Saúde).

Assista ao vídeo no link da matéria no G1

 

Anúncios

, , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: