(Fotos) Abraço à Quilombo das Guerreiras leva ânimo à ocupação (RJ)

No último sábado, 9 de março, aconteceu o Abraço à Ocupação Quilombo das Guerreiras. Desde as 15 horas muitas atrações animaram as centenas de pessoas que visitaram a ocupação, mostrando que as famílias não estão sozinhas nesse momento de incertezas. Moradores e moradoras se revezaram na preparação de caldos e espetinhos de churrasco, bem como na venda de bebidas que arrecadou recursos importantes para o coletivo.

Terraço da ocupação foi enchendo durante a tarde.

Terraço da ocupação foi enchendo durante a tarde.

Além de participar da festa, moradoras e moradores também se revezaram na venda de bebidas  preparo de comidas.

Além de participar da festa, moradoras e moradores também se revezaram na venda de bebidas preparo de comidas.

Mais informações:

>> Restinga, Vila Autódromo, Metrô e Aldeia Maracanã: Ocupação Quilombo das Guerreiras será a próxima? (RJ)
>>
(Fotos) Em tempo de carnaval, obras que ameaçam Unidos da Tijuca também assombram famílias da Ocupação Quilombo das Guerreiras (RJ)
>> Abraço na Quilombo das Guerreiras (9/3 – 15h) (RJ)
>> (Vídeo) Venha dar um abraço na Quilombo! (RJ)
>> (Vídeo) Moradores/as da Ocupação Quilombo das Guerreiras lhe convidam para um abraço! (9/3 – 15h) (RJ)
Mais notícias sobre a Ocupação Quilombo das Guerreiras …

A tarde/noite foi regada a atividades fundamentais para o fortalecimento da ocupação. Alguns companheiros da luta por moradia organizaram uma oficina de “pin-hole” na Sala de Reuniões Paulo Lima, espaço onde o coletivo faz suas reuniões periódicas para organizar a gestão interna e as articulações externas da ocupação. A sala recebe o nome em homenagem a um dos ex-moradores do prédio, falecido há em 2009 mas que foi sempre um grande defensor da organização coletiva. O mesmo tipo de homenagem é feita na biblioteca da ocupação, chamada Gutemberg Gomes Alves. Gutemberg foi uma das primeiras pessoas a entrar no prédio no dia 8 de outubro de 2006. Mesmo sofrendo de sérios problemas de saúde, utilizando prótese em uma das pernas e muletas para se locomover, não deixou de lado o sonho de conquistar uma moradia digna através da mobilização. Foi o primeiro morador a ter um quarto quando todos ainda moravam em quartos coletivos, por sua condição de saúde. No entanto, como uma das moradoras da Quilombo das Guerreiras lembra com frequência, ele foi vítima da covardia da empresa responsável pelo fornecimento de energia na cidade do Rio de Janeiro. Precisando de nebulização e sem ter energia elétrica no prédio, em uma noite de intenso calor de 2007 o companheiro Gutemberg faleceu em pleno quarto, sendo encontrado por outros moradores. Seu quarto transformou-se na biblioteca, onde hoje acontecem atividades com crianças e adolescentes – além de reforço escolar e aulas de EJA.

Placa na porta da Biblioteca Gutemberg Gomes Alves.

Placa na porta da Biblioteca Gutemberg Gomes Alves.

Placa na entrada da Sala de Reuniões Paulo Lima.

Placa na entrada da Sala de Reuniões Paulo Lima.

Oficina de pin-hole dividiu espaço com as reportagens sobre a ocupação.

Oficina de pin-hole dividiu espaço com as reportagens sobre a ocupação.

Ao lado do painel que apresenta com orgulho o Regimento Interno da ocupação, amplamente discutido e votado por todos/as do prédio, reportagens sobre a Quilombo das Guerreiras também foram expostas. Mostravam assim que a situação das famílias têm conquistado espaço em alguns veículos de comunicação. Também nas paredes ficaram expostas as fotos da exposição “Tudo isso é nosso”, de Álvaro Riveros, com fotos do cotidiano da ocupação. No canto do Salão Preto – espaço de confraternizações do coletivo – estava também outro símbolo da resistência das famílias: uma porta que fora arrombada e que, depois, veio a ser coberta pelas frases “Minha casa me abriga. Minha casa, minha briga”. Nessa mesma parede foi exibido o clipe da música “Rap das Guerreiras”, criada e cantada pelas crianças da ocupação. Foi exibido também o vídeo-curta “Mulheres Guerreiras”, que contou alguns olhares sobre a história da ocupação por parte de algumas das guerreiras que batalham nela todo o dia. A emoção tomou conta de todos/as com os depoimentos sinceros e emocionados dessas mulheres – orgulhosas com as conquistas e a construção d sua moradia coletiva e, ao mesmo tempo, abaladas pela insegurança quanto ao seu futuro.

Diferentes gerações de guerreiras e guerreiros, aproveitando a festa com as fotos ao fundo.

Diferentes gerações de guerreiras e guerreiros, aproveitando a festa com as fotos ao fundo.

Mural foi preparado para receber recados de apoio, junto com parte da exposição de fotos.

Mural foi preparado para receber recados de apoio, junto com parte da exposição de fotos.

Porta arrumbada virou símbolo de resistência.

Porta arrumbada virou símbolo de resistência.

A exibição do vídeo-curta "Mulheres Guerreiras" foi um sucesso.

A exibição do vídeo-curta “Mulheres Guerreiras” foi um sucesso.

Muitos/as se emocionaram com os depoimentos de algumas das guerreiras da ocupação.

Muitos/as se emocionaram com os depoimentos de algumas das guerreiras da ocupação.

Os shows foram um capítulo à parte no evento. A Banda Macumbia abriu os trabalhos fazendo todos/as dançar ao som de sua percussão marcante. Repper Fiel, do Morro Santa Marta, fortaleceu a luta da ocupação com sua batida forte e letras firmes. Também reforçando as denúncias contra os vários processos de exclusão e violência que vêm ocorrendo no Rio, veio em seguida PH Lima no mesmo ritmo do rap e funk. O grupo El Efecto também tocou pela primeira vez na Quilombo das Guerreiras, fazendo as pessoas cantarem ao som de “Encontro de Lampião com Eike Batista” e outras músicas poeticamente ácidas e envolventes. Por fim, a Banda Corisco encerrou as apresentações com sua mistura política de baião, samba e rock, aproveitando tanto músicas próprias (como “Baião do seu dotô”) quanto fazendo versões de outras canções (como “Nome de favela” e “Canto das três raças”). Entre tudo isso, ainda houve espaço para DJ Castro mostrar a ótima seleção de músicas que escolheu para animar a festa.

Banda Macumbia fez todos/as dançarem!

Banda Macumbia fez todos/as dançarem!

Banda Macumbia abriu os trabalhos da noite com muita animação.

Banda Macumbia abriu os trabalhos da noite com muita animação.

Repper Fiel veio com uma avalanche crítica, inspirando a luta de todos/as.

Repper Fiel veio com uma avalanche crítica, inspirando a luta de todos/as.

PH Limpa direcionou suas músicas a várias injustiças vistas na cidade.

PH Limpa direcionou suas músicas a várias injustiças vistas na cidade.

Grupo El Efecto fez todos/as cantarem ao som de "Encontro de Lampião com Eike Batista".

Grupo El Efecto fez todos/as cantarem ao som de “Encontro de Lampião com Eike Batista”.

Banda Corisco também marcou sua presença na festa.

Banda Corisco também marcou sua presença na festa.

As manifestações de apoio à ocupação não paravam de saltar da boca e do coração das pessoas que estiveram no evento. Um cartaz ao lado da cozinha coletiva recebeu várias palavras de apoio. As bandas também gravaram mensagens à ocupação. Além de tudo isso, muitas das pessoas presentes concordaram que um dos pontos mais positivos da festa foi ver a quantidade de pessoas novas visitando a ocupação, pessoas que nunca tinham tido contato com a Quilombo das Guerreiras e tiveram a oportunidade de compartilhar um momento de confraternização e proximodade com muitas famílias, adultos e crianças do prédio. De agora em diante, se espera que sejam pessoas cada vez mais importantes para o futuro da ocupação, divulgando sua situação e ajudando no que for possível.

As bandas foram embaladas pela energia do público.

Todas/os acompanharam atentamente as bandas.

Os shows entraram a noite e fizeram todos/as cantar.

Os shows entraram a noite e fizeram todos/as cantar, com as bandas no embalo da energia do público.

Todos/as se animaram com os vários shows do evento.

Todos/as se animaram com os vários shows do evento.

* Fotos de Luiza Colombo e Matheus Grandi.

Anúncios

, , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: